UM ANO DE PANDEMIA: Paraíba completa um ano do primeiro caso confirmado de covid-19; veja números atuais

A Paraíba completa, neste 18 de março de 2021, um ano do primeiro caso confirmado de covid-19 no Estado. Lamentavelmente, um ano após, o Estado vive o seu pior momento na pandemia, com uma alta na média diária de mortes, 241.592 casos confirmados e 5.080 mortes causadas pela doença.

O primeiro caso registrado na Paraíba foi um idoso de 60 anos. Em meio ao pouco conhecimento que se tinha da doença, esse caso demorou 16 dias entre a suspeita e a confirmação. A primeira morte pela doença no Estado foi registrada em 31 de março de 2020. O paciente era um homem, de 36 anos, que morava em Patos, no Sertão.

Durante esse período de um ano, a Paraíba viveu uma explosão de casos e mortes oriundas da primeira onda. Por meados do ano, entre agosto, setembro e outubro, os números diminuíram, e em seguida chegaram as eleições municipais, quando pessoas se aglomeraram por todo o estado em comícios e eventos político-partidários.

Recentemente, já em 2021, a Paraíba viu o número de casos, e principalmente de mortes, crescer, alcançando recordes desde o início do período pandêmico. Também em 2021, em 19 de janeiro, a esperança no combate à doença veio junto com vacinas, quando nesse dia, foi aplicada a primeira dose de um imunizante contra a covid-19 na Paraíba. Atualmente, o Estado recebeu 397.680 doses de imunizantes e 281.623 já foram aplicadas.

A situação é preocupante também nos hospitais públicos e privados em todo o território paraibano. O Conselho Regional de Medicina na Paraíba (CRM-PB) divulgou nessa quarta-feira (17) que, até a terça-feira (16), três hospitais do Sertão tinham 100% de ocupação de leitos de UTI covid. Na região metropolitana de João Pessoa, a taxa era superior a 90%. No dia de um ano de covid-19 na Paraíba, a fila com pessoas doentes de covid-19 na espera por um leito de UTI covid é de 53.

Veja abaixo os gráficos de casos e óbitos por covid-19 desde o início da pandemia na Paraíba cedidos pela secretaria estadual de Saúde:

Fonte: Polêmica PB