Paraíba investiga 28 casos suspeitos de coronavírus

A Paraíba notificou mais 10 casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19) no estado, conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde neste domingo (15). Com isso, até o momento, são 39 notificações na Paraíba. São 23 mulheres e 16 homens. O balanço tem os seguintes destaques:

  • Nenhum caso confirmado
  • 28 casos suspeitos
  • 11 casos descartados

Os casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde (MS). Os números divulgados pelas secretarias estaduais e o Ministério da Saúde não são necessariamente iguais, já que os órgãos têm horários e procedimentos distintos para apresentação de seus boletins diários.

Os casos na Paraíba foram registrados nas cidades João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Bananeiras e Cuité.

Governo decreta situação de emergência

O governador João Azevêdo decretou situação de emergência em saúde pública por causa do aumento na confirmação de casos de contágio do novo coronavírus no Brasil, que considera potenciais possíveis repercussões na Paraíba.

A medida tem caráter preventivo para assegurar estruturas necessárias para o enfrentamento de possíveis casos no estado, que possui 13,32% da população acima de 60 anos de idade, grupo mais vulnerável à doença.

Prefeitura de João Pessoa decreta suspensão de eventos e medidas preventivas

Após anunciar medidas administrativas de prevenção e cuidados contra o novo coronavírus (Covid-19), a Prefeitura Municipal de João Pessoa anunciou neste domingo (15) um decreto que determina a suspensão de eventos culturais ou esportivos que reúnam mais de 250 pessoas além do cancelamento de férias dos profissionais da saúde do município e outras medidas.

Segundo a prefeitura, uma campanha de mobilização vai ser feita em Unidades de Saúde da Família (USF), creches, escolas, abrigos e restaurantes populares. O órgão também informou que o Procon municipal vai ficar responsável por realizar operações em farmácias, distribuidores e outros estabelecimentos comerciais com o objetivo de identificar e coibir abusos ao consumidor na venda de produtos relacionados à prevenção ao vírus, como o caso do álcool em gel.

 

Fonte: G1 PB

Créditos Foto: Reuters/Yves Heman/Direitos Reservados

Deixe uma resposta