Fornecedora de oxigênio reage à nota da Prefeitura de João Pessoa: ‘contratos estão sendo cumpridos’

A empresa White Martins, fornecedora de oxigênio hospitalar para a maioria dos hospitais de João Pessoa, emitiu nota nesta quarta-feira (17) registrando que “tem cumprido rigorosamente todas as suas obrigações junto à Secretaria de Saúde de João Pessoa nos hospitais contratados”. A medida foi uma reação a outra nota, enviada um dia antes pela Prefeitura, que dizia ter sido informada pela própria empresa de que essa estaria tendo dificuldades de atender a demanda do Nordeste devido ao aumento de casos e de internações por Covid-19 na região.

Na verdade, a fornecedora não deixa claro em sua resposta se houve ou não algum tipo de comunicação entre as partes. Limitou-se a dizer que, nos últimos 15 dias, o consumo de oxigênio líquido cresceu cerca de 15% e o de oxigênio gasoso fornecido em cilindros mais que dobrou. E que, ainda assim, “o fornecimento para estes hospitais segue sendo realizado conforme previsto em contrato”.

A questão é que a Prefeitura de João Pessoa, na mesma nota, informava que, por medida de precauções, já estava entrando em contato com outras empresas do setor e que, se fosse o caso, iria trocar o fornecedor imediatamente, como forma de garantir que não houvesse interrupção na entrega de oxigênio para as unidades hospitalares da capital paraibana.

 

Com a resposta, a empresa indica que não há desrespeito contratual que justifique a medida.

A Prefeitura havia informado ainda que o problema estaria na “carência de insumos para operar as cinco usinas produtoras de oxigênio hospitalar instaladas no Nordeste”.

Sobre a questão, a White Martins informa que quatro dessas usinas estão localizadas em hospitais que são clientes da empresa, mas que elas estão desativadas desde 2016 e, mesmo assim, nunca foram operadas por ela.

Mais Bayeux com G1