AS PROVAS: Delegado diz que aplicativo Whatsapp comprovou a participação do filho na morte do gerente do posto

Herick Ramon manteve comunicação com os suspeitos do assalto que culminou com a morte de seu pai, o gerente de um posto de combustíveis no bairro de Manaíra, em João Pessoa, até poucos instantes antes do crime.

De acordo com a investigação policial, o jovem de 24 anos teria indicado o momento exato para que os suspeitos do assalto agissem. Através de áudios enviados pelo aplicativo Whatsapp, Herick pediu para os comparsas agilizarem a ação.

“Ei ‘pai’, desce para a situação. Cuide, agiliza parceiro”, ressaltou o filho do gerente do posto.

Um dos suspeitos do assalto respondeu o áudio também com mensagem de voz dizendo que já estavam monitorando a região. “Tamo aqui já, tamo aqui já, parceiro. Só que ele não tá chegando no escritório não”.

Além disso, o delegado Wagner Dorta afirmou que o suspeito disse em depoimento que conhecia o temperamento de seu pai e tinha conhecimento que ele costumava reagir a assaltos. Para o delegado, este é um indício de que o jovem planejou o assalto sabendo dos riscos à vida de seu pai.

“Realmente o caso está fechado. Nós temos elementos que comprovam que o suspeito passou o horário que o pai chegou no posto de combustível, ele avisou aos dois que eles tinham que descer, em caráter de urgência, para o posto. Elementos suficientes no inquérito policial demonstrando que ele planejou toda ação criminosa”, ressaltou o delegado.

EXECUTOR ENTREGOU O FILHO

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba