VEJA VÍDEO: Jefferson Kita rebate declaração da Prefeitura de Bayeux sobre crédito suplementar para pagamento dos servidores

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Bayeux, Jefferson Kita, divulgou nota, nessa quinta (31), esclarecendo a polêmica em torno do pedido de suplementação enviado ontem pela Prefeitura, e que está, segundo o parlamentar, sendo utilizado como motivo para o não pagamento do salário dos servidores.

A prefeitura divulgou comunicado na tarde de ontem (31) informando que está impedida de realizar o pagamento dos servidores “em virtude de não ter espaço no orçamento 2019”. A nota continua, “a gestão está guardando a aprovação da Câmara de Vereadores de uma suplementação orçamentária” para começar a pagar os salários.  

No entanto, segundo o presidente da Câmara, “Além de haver um Regimento Interno que não permite que se atropele a tramitação processual e o fato do documento ter sido protocolado de última hora, no dia que o governo deveria cumprir com o compromisso de quitar os vencimentos do funcionalismo, o prefeito Berg Lima ainda enviou a solicitação com um erro fundamental para o seu acolhimento, com pedido para suplementar o orçamento 2020 quando esse ainda sequer foi apreciado pelo parlamento, incorrendo em falta grave para a sua legalidade.”

Jefferson Kita reiterou que a Câmara Municipal não tem responsabilidade sobre o atraso no pagamento do salário dos servidores, mas está à disposição para buscar soluções para o caso. 

“O presidente ainda explica que a Câmara não ter responsabilidade sobre o fato, mas que está à disposição para fazer o que for necessário para a solução do caso, mas que trabalhará dentro da legalidade para não causar prejuízos jurídicos a este Poder Legislativo,” ressalta a presidência da Câmara Municipal de Bayeux.  

Confira a nota e o vídeo: 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Presidente Jefferson Kita esclarece polêmica criada em torno do pedido de suplementação do Poder Executivo bayeuxense, enviado a esta Casa no dia de hoje (31), e que está sendo utilizado como motivo para a gestão municipal não pagar os salários dos servidores da edilidade.

Além de haver um Regimento Interno que não permite que se atropele a tramitação processual e o fato do documento ter sido protocolado de última hora, no dia que o governo deveria cumprir com o compromisso de quitar os vencimentos do funcionalismo, o prefeito Berg Lima ainda enviou a solicitação com um erro fundamental para o seu acolhimento, com pedido para suplementar o orçamento 2020 quando esse ainda sequer foi apreciado pelo parlamento, incorrendo em falta grave para a sua legalidade.

O presidente ainda explica que a Câmara não ter responsabilidade sobre o fato, mas que está à disposição para fazer o que for necessário para a solução do caso, mas que trabalhará dentro da legalidade para não causar prejuízos jurídicos a este Poder Legislativo.

Apenas de vir sofrendo seguidos ataques, o parlamento bayeuxense seguirá mantendo o diálogo em alto nível, sempre visando a construção de uma Bayeux melhor e mais digna para os seus filhos e filhas.

 

Mais Bayeux