Paraíba tem leve crescimento, mas perde em participação no consumo nacional em 2021, aponta IPC Maps

Apesar de apresentar um leve aumento no consumo das famílias, depois de uma queda por causa da pandemia em 2020, a Paraíba continua em 18º lugar no ranking de estados do estudo IPC Maps 2021, que calcula índices de potencial de consumo nacional, com base em dados oficiais. Segundo o índice, o estado deve ser responsável por 1,27% do consumo nacional este ano, com previsão de R$ 64,4 bilhões, contra 1,36% do ano passado, quando foi previsto consumo de R$ 60,7 bilhões.

Segundo o índice, a classe C é a que mais deve consumir neste ano, com uma fatia de 35,8% do consumo total, seguida da classe B (33,9%), classes D e E (22,3%) e, por fim, a classe A (8%).

O IPC Maps apresenta em números absolutos o detalhamento do potencial de consumo por categorias de produtos com base em dados oficiais e que levam em consideração a população, as áreas urbanas e rurais e os setores de produção e serviços de cada município.

O maior consumo dos paraibanos em 2021 deve ser na habitação, com R$ 12,5 bilhões do total. Em seguida, desconsiderando despesas em geral, está a alimentação no domicílio (R$ 7,17 bilhões) e veículo próprio (R$ 5,24 bilhões).

 

Em relação às cidades, João Pessoa segue sendo a cidade com maior participação no consumo estadual, com previsão de R$ 17,9 bilhões este ano. Apesar disso, o município caiu três posições no ranking nacional e agora está em 36º lugar. Na capital, a classe B é a que é responsável pelo maior consumo, com 43,2% do total, seguida da classe C, com 31%.

No ranking estadual, Campina Grande aparece em 2º lugar, com previsão de consumo de R$ 8,34% bilhões, também caindo de 88º para 93º no ranking nacional; Santa Rita em terceiro lugar (R$ 1,844 bilhões); Patos (R$ 1,842 bilhões) e Bayeux (R$ 1,37 bilhões).

Fonte: G1