Morre jornalista Otinaldo Lourenço vítima da Covid-19

Por Laerte Cerqueira, no Blog Conversa Política

O jornalista, radialista e advogado Otinaldo Lourenço de Arruda Melo, de 86 anos, foi mais uma vítima de complicações deixadas pela Covid-19. Ele estava internado no Hospital Memorial São Francisco desde o início de fevereiro. Após superar a doença, ficou internado por causa de problemas no pulmão e nos rins. O pernambucano de Surubim, de deixa esposa, Yone Lacet, dois filhos e dois netos.

Otinaldo nasceu em abril de 1934 e deixou seu nome marcado na história do rádio na PB, com a criação de programas de sucesso. Programas revolucionários, de acordo com contemporâneos. Quis o destino que ele morresse justamente no dia em que é comemorado o Dia Internacional do Rádio.

O jornalista também foi professor universitário e também fez uma carreira marcante na televisão. Na TV Cabo Branco, foi responsável por entrevistas memoráveis, com Ulysses Guimarães, Luís Carlos Prestes e Aureliano Chaves. A lembrança dessas entrevistas foi feita, por ele mesmo, em depoimento para dissertação de Mestrado em Jornalismo do jovem jornalista de política, Felipe Nunes.

Em um dos trechos, Otinaldo revelou a Felipe: “a entrevista que eu mais gostei foi com Aureliano Chaves, pois ele revelou-se um conhecedor dos problemas e apontando soluções que a gente sentia que ele era capaz de fazer, de realizar, pois não adianta você apontar soluções que você, como estudioso, como jornalista, muito atento às coisas que acontecem no Brasil, não tem condições de fazer. Mas o que ele disse teve muita coerência. Dentre os presidenciáveis, o que eu mais gostei de entrevistar foi ele, que se mostrou muito inteligente, muito perspicaz”.

Entrevista no “Tempo de Trinta”

Otinaldo também destacou esses momentos em entrevista à ex-apresentadora Edilane Araújo, em um dos programas especiais de comemoração aos 30 anos da TV CABO BRANCO 

Na conversa, também contou como entrou na TV. Segundo ele, foi um chamado de Aluízio Moura e Erialdo Pereira. O primeiro programa foi o Bom Dia Paraíba, no qual dividia a bancada com Nonato Guedes.

Guedes registrou que Otinaldo notabilizou-se por ser um Monarquista. Segundo ele, “chegou a discutir com o então senador Fernando Henrique Cardoso, nos microfones da TV Cabo Branco, a respeito do tema, quando ele esteve em João Pessoa para defender o Parlamentarismo (sem Monarquia) no plebiscito que se realizou no país após a ditadura militar e que acabou consagrando mesmo o presidencialismo como regime”.

Essa foi uma das várias entrevistas com personalidades e autoridades da política. Na lista, ele destacou, ainda, a conversa com o ex-presidente Lula, que em 1988 era deputado federal e candidato a presidência da República. No programa, o jornalista também fazia comentários políticos.