Luiz Couto recorre a Gleisi Hoffmann contra nomeação do PT no governo da Paraíba; Leia

O ex-deputado federal Luiz Couto e lideranças petistas ligadas a ele recorreram ao diretório nacional do PT, neste sábado (29), para contestar a participação da legenda no Governo da Paraíba. Esta semana, o partido indicou o militante Bivar de Souza Duda para o cargo de Secretário de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba.

No documento, que a reportagem teve acesso, Luiz Couto reforça o pedido para que a direção nacional aprecie com urgência um recurso apresentado em fevereiro deste ano, que contesta o apoio do partido ao governador João Azevêdo (Cidadania).

É sabido que o Diretório Regional do PT na PB “aprovou” a participação no governo de João Azevedo do CIDADANIA, mesmo tendo ciência da forte vinculação com políticos ligados ao bolsonarismo. A decisão do DR foi contestada por recurso apresentado ao DN em 10 de fevereiro do corrente, ainda não apreciado, a fim anular tal decisão. A imprensa também noticiou que a nomeação foi articulada pelos parlamentares Frei Anastácio e Anísio Maia. Não temos conhecimento de tratativas, consulta ou deliberação por parte do DR relacionada à construção da indicação do nomeado. Agrava a situação o fato do governador ser de um partido que se posiciona publicamente em desfavor da candidatura do presidente Lula, em 2022, tendo o governador declarado que apoiará o candidato do seu partido”, diz no documento.

No mesmo documento, Luiz Couto pede que o diretório nacional se posicione sobre o processo de intervenção no PT de João Pessoa, que ocorre desde as eleições municipais, por divergências internas quanto ao apoio do partido à candidatura de Ricardo Coutinho à Prefeitura de João Pessoa.

“Para que se reestabeleça a normalidade do processo partidário na PB é urgente que o DN se posicione quanto ao recurso encaminhado em fevereiro passado, que a comissão de ética delibere acerca dos processos disciplinares pendentes relacionados ao pleito de 2020 e que o diretório municipal de João Pessoa, que está sem direção formal há meses, seja recomposto”, conclui.

Confira o documento:

20210527 manifestacao ao DN