FOI A POLÍCIA: namorada de segurança afirma não ter dúvidas de que policiais o mataram

A namorada de um passageiro de Uber morto por um tiro na madrugada desta sexta-feira (08) em Santa Rita afirmou que ele foi assassinado por policiais durante uma abordagem. A informação inicial dava conta que ele teria sido atingido por uma bala perdida provinda de uma perseguição da polícia a assaltantes que explodiram uma agência da Caixa Econômica nas proximidades.

De acordo com ela, o namorado foi deixá-la em casa junto com um motorista de aplicativo e estava deixando o local no mesmo veículo: “quando eu desci do carro e entrei no meu prédio, o porteiro me chamou e me baixou dizendo ‘explodiram a Caixa, isso é tiro’. Não deu pra ouvir se houve alguma abordagem a eles, mas eram de quinze a vinte policiais em dois camburões grandes e pretos.

Leia Também:   Policiais são investigadas após foto polêmica com stripper

A jovem ainda contou que a ação foi muito rápida e ouviu apenas os gritos dos policiais: “quando eu vi, o motorista já estava no chão e eu saí gritando ‘está comigo’ e eles gritando ‘vá para dentro’ e era muito tiro. Eles estavam portando armas muito grandes, mas não consigo lembrar se tinha alguma inscrição nas viaturas.

De acordo com a vítima, depois que os agentes perceberam que o seu namorado estava baleado, mandou o Uber seguir para o Hospital de Trauma: “aí me ligaram mandando ir lá e, quando cheguei, ele já estava em óbito. Estou revoltada, quero lutar por justiça, pois não temos dúvida que os disparos saíram dos policiais”.

Fonte: Tá na Área

Créditos: Tá na Área