‘EXPEDITO E ZÉ NOS BRAÇOS DO POVO’: senador morreu sem saber da partida do médico da cidade

Enquanto esteve internado contra as complicações da Covid-19, a família do senador José Maranhão o protegeu das notícias negativas que ocorriam fora do Hospital Villa Nova Star, tanto sobre mortes relacionadas à Covid-19 quanto a episódios que pudessem trazer preocupação ao ex-governador.

Um dos episódios sobre o qual o ex-governador jamais soube, foi sobre a partida dolorosa do seu amigo e ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, que foi executado a tiros no dia 09 de dezembro do ano passado. O episódio ocorreu apenas cinco dias depois que Zé havia sido transferido de João Pessoa para São Paulo.

Expedito e Zé Maranhão fizeram dobradinha juntos na política, sobretudo em Bayeux, com o slogan “Em Bayeux é Expedito e Zé nos braços do povo”. Posteriormente, chegaram a ficar em palanques separados, mas nunca perderam a amizade e logo voltaram a firmar uma nova aliança e proximidade políticas. 

O senador José Maranhão faleceu nesta segunda-feira (08), quase dois meses depois da morte do ex-prefeito Expedito Pereira. Uma amizade que foi interrompida por circunstâncias inimagináveis.