CPAC BRASIL: advogado paraibano participa de evento ao lado de Eduardo Bolsonaro e exalta conservadorismo

O advogado paraibano Taiguara Fernandes fez um balanço positivo da primeira edição do CPAC Brasil, que aconteceu no ultimo final de semana, em São Paulo. Ele foi um dos palestrantes do evento conservador, que é reconhecido internacionalmente, especialmente nos Estados Unidos. O evento foi organizado pelo filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). 

Taiguara Fernandes tem se destacado nas redes sociais pelo apoio e ênfase ao pensamento conservador. No evento, o foco da palestra dele foi a burocracia estatal. À reportagem, o paraibano elogiou o evento. “Acredito que o principal valor é mostrar que o conservadorismo veio para ficar, que ele tem relevância política, em termos de eleitorado, mas principalmente em termos intelectuais”, destacou. 

Para Taiguara, o CPAC representou a voz que, segundo ele, está sendo devolvida às pessoas comuns do Brasil, que em sua maioria são conservadoras. “Apesar de ter os valores conservadores, o povo não tinha voz. Essa voz está sendo dada. Os intelectuais conservadores surgiram a partir de estudos sérios, e por isso a relevância intelectual do conservadorismo no Brasil. Temos profunda análise da realidade como fonte de tudo o que dizemos”, reafirmou.

Taiguara é aluno do professor Olavo de Carvalho, que tem se destacado por suas posições conservadoras, especialmente sobre o que acontece no Brasil.

Também participaram do evento nomes como o assessor da Presidência da República Felipe Martins; a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves, e o ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo.  “Essa é a principal importância do evento, mostrar que esse conservadorismo recente, que foca na cultura, nos valores, nas tradições espirituais, políticas, religiosas do Brasil, que tudo isso tem lugar, que a gente não está mais mudo e temos a razão de acreditar nessas coisas”, reafirmou o paraibano.

Críticas

Taiguara rebateu as críticas sobre o CPAC ter sido bancado por verbas públicas destinadas ao PSL. Para o advogado, a utilização dos recursos foi correta.

“Agora que pela primeira vez, que a verba é usada devidamente para o que as pessoas querem, ou seja, para a divulgação dos valores  enraizados em nossa tradição, dos valores conservadores, um grupo muito restrito de gente recalcada [vem reclamar] . (…) Estamos utilizando pela primeira vez aquilo que o próprio Estado proporciona, utilizado pela primeira vez para fazer aquilo que o povo acredita. (…) O dinheiro de uma fundação é para isso, e foi para isso que ele foi pela primeira vez utilizado”, ressaltou.