BAYEUX: promotor eleitoral questiona suspensão de exames após eleições municipais

O promotor de Justiça da 61ª Zona Eleitoral, Demétrius Castor de Albuquerque, questionou nesta sexta-feira (18), por que a Prefeitura Municipal de Bayeux suspendeu a realização de exames que estavam sendo realizados durante o processo eleitoral. Em novembro, ele ingressou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra a prefeita Luciene Gomes (PDT) por suposto abuso de poder político no pleito.

Segundo o promotor, durante a eleição a gestão municipal anunciou mutirões para a realização de diversos exames, supostamente com fins eleitoreiros. Em material divulgado em novembro, foi anunciada a realização de “1.000 mamografias, 1.000 tomografias, 1.000 ultrassonografias, 500 ecocardiogramas, 100 colonoscopia e 200 colposcopia”, disse.

O promotor Demétrius Castor quer saber por que a campanha para a realização desses exames não foi efetivada em dezembro, conforme prometido. “Pergunto se tais exames ainda serão realizados, eis que ja estamos no dia 18 e nada do que foi prometido EM CAMPANHA foi concretizado (estes tais exames)”, disse Castor.

Na ação encaminhada à Justiça Eleitoral, Demétrius Castor destaca que “O uso da máquina pública visando a captação de votos é cristalina, excede os limites da racionalidade e fere de morte o princípio da igualdade”. Dentre as supostas irregularidades, está a campanha para a realização de exames, que segundo ele não teve continuidade, conforme prometido.

Ainda durante o mês de novembro, a prefeita Luciene Gomes negou irregularidades ao ser questionada sobre o tema.

Confira a divulgação da campanha relacionada aos exames: