Agevisa nega interdição em maternidade de Bayeux mas informa que unidade foi notificada

A Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) negou, nesta segunda-feira, que tenha interditado a maternidade municipal de Bayeux, mas informou que fez uma notificação ao hospital. A informação sobre a interdição, que circulou em grupos de Whatsapp e em alguns portais de notícia do Estado, não procede.

A assessoria de comunicação da Agevisa informou que o hospital continua funcionando, porém foi notificado diante de algumas irregularidades detectadas durante a inspeção. O órgão não informou, no entanto, quais foram os problemas encontrados e pediu que a reportagem entrasse em contato com a própria maternidade.

A Prefeitura Municipal de Bayeux emitiu uma nota negando a interdição e informou que a Agevisa notificou o hospital porque detectou a ausência de “um aparelho, que é a pistola de ar comprimido”.

Confira a nota na íntegra.

NOTA

A Prefeitura de Bayeux, através da Secretaria de Saúde vem à público esclarecer que o Hospital Materno Infantil João Marsicano não foi interditado,como está sendo divulgado, o que houve foi uma visita da AGEVISA em que são geralmente realizadas rotineiramente.
A visita técnica notificou o hospital pela falta de um aparelho que é a pistola de ar comprimido, o aparelho estava sendo instalado nos próximos dias, cujo não existia em gestões anteriores.
O aparelho já estava fazendo parte da lista de novas aquisições da Secretaria de Saúde e que busca melhorar e ampliar os serviços para a população, inclusive seria instalado na próxima semana.
A Secretaria de Saúde afirmar que nenhum paciente será prejudicado devido essa notificação e que segunda-feira todos seus serviços estão funcionando normalmente.
Por fim, ressaltamos que, desde que o prefeito interino assumiu como gestor desse município, trata a Saúde com uma das prioridades da gestão.