Abordagem multidisciplinar na conduta da dor Musculoesquelética – por Jerry Boni

Olá, internautas!

Hoje o tema da nossa coluna é dor muscoesquelética e a melhor forma de lidar com ela.

A dor musculoesquelética é mais comum do que se imagina, e considerada como um problema global que envolve sofrimento desnecessário, incapacidade progressiva e custo socioeconômico relevante.

Para se ter uma ideia, estima-se que 90% do brasileiros sofram com dores musculoesqueléticas, sendo uma das principais causas de afastamento no trabalho.

Este incômodo pode surgir com lesões nas estruturas articulares, tendíneas, ósseas, musculares e fáscias. Podendo, inclusive, ser localizada ou difusa, que acontece quando a dor irradia para outras regiões do corpo.

Geralmente, este tipo de dor aparece de forma aguda, ou seja, os sintomas aparecem e somem em intervalos e não permanecem por mais do que três meses.

No entanto, a falta de atenção ao problema pode evoluir para uma doença crônica, que é persistente e pode durar meses ou até mesmo anos, caso não seja tratada. Lembrando que a dor crônica tem comportamento e, principalmente, tratamentos distintos da dor aguda.

Soluções

A batalha contra dor envolve conhecimentos de especialistas de varias áreas, desde de médicos, fisioterapeutas,  psicólogos dentre outros. Uma abordagem multidisciplinar é definida como um tratamento fornecidos por múltiplos profissionais que integram a equipe e interagem entre si com objetivos comuns.

Quanto a aspectos Clínicos a abordagem biopsicossocial vê a dor e incapacitação como uma interação complexa e dinâmica entre fatores fisiológicos, psicológicos e sociais, podendo assim piorar  a apresentação clínica do paciente. Os fatores psicossociais tais como abuso, distúrbio do humor, estresse, ansiedade, incapacidade laborativa, pouca habilidade de enfrentamento e outros problemas psicossociais são comumente encontrados em pacientes com dor musculoesquelética, como é referido por equipes interdisciplinares. A dor crônica afeta múltiplos domínios da vida, e pacientes com dor crônica requerem avaliação e tratamento multidimensionais, o que é melhor implementado por uma equipe multidisciplinar.

Dr. Eli Soares – Fisioterapeuta Osteopata da Clínica Vitale terapias integradas

Dr. Jerry Boni – RQE: 5907 / CRM: 8753 

Médico Ortopedista e Traumatologista com treinamentos no Brasil e no Exterior, na área clínica e artroscópica Cirurgica do Ombro e cotovelo.

Contato: (83) 999411630

Atendimentos:
Clinor – unidades do Centro, Bancários e Praia

 

 

Mais Bayeux